Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009

Ruído versus redundância

Vulgarmente, para nós a palavra ruído significa barulho, som ou poluição sonora não desejada. Chamamos ruído às interferências no canal (o barulho na sala de aula, os ruídos telefónicos ou electrónicos, as instabilidades ou o grão num ecrã televisivo).

Na teoria da informação o ruído é considerado como portador de informação e na concepção de Shannon, tal como a informação se mede, também o ruído se pode medir. Ele corresponde à diferença entre a informação de partida e a informação de chegada.

O ruído passa a ser uma variável que se pode generalizar a qualquer tipo de informação. Por exemplo, se fizermos uma fotocópia, a qualidade da informação impressa pode ser razoável. Mas se fizermos uma segunda fotocópia do material fotocopiado, e uma terceira da segunda fotocópia, a qualidade da informação vai-se degradando até se perder por completo. Essa degradação sucessiva corresponde ao ruído e pode ser medida com precisão. O mesmo se pode dizer quando, através de um molde de gesso, se reproduz uma estátua ou um molde original, dessa reprodução se faz novo molde e uma outra reprodução, e assim sucessivamente. Ao fim de algumas reproduções teremos apenas um esboço irreconhecível. E o mesmo se pode aplicar às reproduções de CDs a partir, não da matriz, mas de discos em vinil.

A noção de ruído pode ainda ser aplicada à comunicação. Uma coisa é o que queremos dizer, outra é o que se diz, outra o que se ouve e outra, finalmente, o que o ouvinte se lembra de ter ouvido. Em cada uma destas transmissões perde-se inevitavelmente informação, pelo que muitos falantes se queixam de não serem entendidos, não sabendo porém que isso é inevitável.

Como é possível medir a informação e o ruído? Shannon desenvolveu estratégias para o corrigir com meios técnicos. Também nós aprendemos estratégias empíricas para corrigir esta perda de informação. Uma delas é manter o canal em boas condições, outra é acentuar ou repetir as informações mais importantes. Finalmente, existem regras da comunicação informativa, pelas quais se podem reconstituir alguns elementos perdidos da mensagem. Tanto as repetições como as regras têm a ver com a redundância.

A redundância da informação facilita melhor a precisão da descodificação e, sobretudo, faculta um teste que permite identificar erros. O seu papel é importantíssimo no processo de comunicação. Ela é usada para combater ruídos que possam obstruir o canal. Essa é a razão pela qual, por exemplo, nós batemos várias vezes na porta de uma casa quando queremos ser atendidos pelos moradores.

Se batêssemos uma única vez já transmitíamos a mensagem, mas nós a reforçamos a fim de garantir que o receptor irá recebê-la.

Do ponto de vista da Teoria da Informação a redundância é a repetição de informações, cuja função é a de proteger as mensagens de qualquer sistema de comunicação contra possíveis falhas. A redundância está presente tanto na interacção quotidiana de duas pessoas, quanto na transmissão de dados de telecomunicações. Seu conceito está presente nos mais variados sistemas que necessitam de protecção contra falhas seja um hospital, um satélite ou um automóvel.

 

 


publicado por asilva às 11:50
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Trabalho final: utopia da...

. Modelos de Comunicação

. Níveis de Comunicação

. Historia da comunicação

. O meu primeiro filme em F...

. O Ruído na comunicação

. Redundância versus entrop...

. Ruído versus redundância

. Informação versus comunic...

. Entropia, ruído, redundân...

.arquivos

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

.We Are The Champion - Queen

SAPO Blogs

.subscrever feeds